Do ponto de vista doméstico, podem causar algum prejuízo ao roer roupas, papéis ou documentos, bem como, ao sujar o ambiente com seus excrementos e proporcionar odor aos utensílios domésticos, principalmente na cozinha e dispensa de alimentos.

A importância médica das baratas sinantrópicas certamente é um dos aspectos mais relevantes, já que existem algumas espécies que carregam microorganismos como vírus, bactérias, fungos e protozoários. As baratas ao deslocarem-se pela rede de esgoto e outros ambientes propícios ao desenvolvimento de patógenos trazem consigo microorganismos junto ao corpo que posteriormente, quando em contato com o alimento e utensílios, contamina-os. Por sua vez, o homem ao ingerir esse alimento contaminado, pode adquirir os patôgenos e adoecer. As baratas podem também roer a mucosa labial ou a extremidade da mão, principalmente de crianças durante o sono, devido à presença de resíduos açucarados que servem de alimento. Isso pode causar irritação e formação de ferida no local denominada “herpes blattae” que requer cuidados médicos. As fezes podem ser inaladas e causar distúrbios no trato respiratório ou ainda, reações alérgicas. Finalmente, esses insetos são potencialmente hospedeiros intermediários de vermes que infectam alguns mamíferos e eventualmente o homem.

No ambiente natural, as baratas desempenham os papeis ecológicos de cicladores de nutrientes e de decompositores de madeira morta. No primeiro caso, suas fezes, ricas em compostos de nitrogênio fertilizam o solo. Já, no segundo caso, reduzem a madeira morta do solo, dispondo-a para os microorganismos que produzem húmus. Desse modo, as baratas contribuem para a manutenção da vida no planeta.

Já o interesse científico pelas baratas decorre de seu uso como modelo de estudos de anatomia e fisiologia de insetos e há pesquisadores que criam esses animais para estudos sobre os mecanismos de resistência a inseticidas, bem como, para servirem de alimento para vários outros animais de laboratório.

O mecanismo de controle básico de baratas consiste na manutenção higiênica do ambiente, pois, é o acúmulo de resíduos alimentares que determina o aparecimento do inseto. Além da higienização freqüente, aconselha-se também a vedação de frestas e outros ambientes favoráveis ao estabelecimento desses animais.

Nas infestações o manejo integrado é o mecanismo de controle mais indicado. Além de economicamente mais viável, já que requer menor investimento com inseticidas, ele reduz também a concentração de resíduos químicos no ambiente.

O manejo integrado consiste no emprego concomitante de pesticidas, geralmente organofosforados, e produtos biológicos. Esses inseticidas devem ser usados cuidadosamente para evitar a contaminação do meio ambiente, principalmente da água. Sendo assim, aconselha-se:

» Iscas, pó seco e inseticidas microencapsulados podem ser aplicados em locais fechados;

» Inseticidas de pulverização líquida devem ser administrados em áreas que sofrem limpezas úmidas;

» Substâncias residuais devem ser aplicadas apenas em áreas não irrigadas, pois assim os produtos permanecem por
   mais tempo no local e não precisam de reaplicações freqüentes.

No controle biológico o mais comum é empregar inimigos naturais, como aranhas, escorpiões, ácaros, besouros, sapos e rãs, pequenos répteis, aves e pequenos roedores. Esses animais alimentam-se das baratas adultas ou de suas ninfas, porém para o ambiente doméstico criar esses animais é inviável.  Atualmente, o fungo Beauveria brongniartii é alvo de intensos estudos, uma vez que pode ser um método viável e eficaz no controle biológico das baratas.

DICA 

As baratas não são hospedeiras de microorganismos patogênicos. Na verdade, elas são vetores mecânicos, ou seja, carregam na superfície do corpo bactérias, vírus e protozoários que potencialmente podem causar doenças ao homem. Portanto, deve-se limpar com água e sabão os objetos que as baratas entraram em contato. Para os alimentos, o aconselhável é descartá-los, já que entre algumas bactérias que as baratas transportam está a espécie Escherichia coli que causam diarréias.

Finalmente, é importante não abusar do uso de pesticidas. O ideal é um controle integrado, onde são utilizados produtos químicos associados a produtos naturais. O uso abusivo de inseticidas pode selecionar populações resistentes de baratas e, assim, deixarem de ser eficientes no controle da infestação.

» À mínima percepção de perigo, são capazes de iniciar uma fuga em 0,054 segundos.

» Passam aproximadamente 75% do seu tempo em repouso.

» As baratas fósseis do período Carbonífero são tão abundantes que este período é conhecido como “Idade das
   Baratas”.

» As baratas têm tamanhos entre 2 a 6,5 mm, as maiores atingindo 80 mm.

» Algumas espécies fazem a polinização de certas plantas.

» Os insetos denominados popularmente de “baratas d’água” são na verdade percevejos.

» Nas rochas calcárias do Ceará (112 milhões de anos atrás) foram encontrados fósseis de baratas
  extraordinariamente preservados contemporâneos dos dinossauros.

Produtos relacionados

Sobre a loja

A Turbo Dedetizadora e Desentupidora a 10 anos atua no mercado goiano, contando com profissionais bem treinados e capacitados tanto no serviço como no atendimento personalizado ao cliente. Possuímos um atendimento altamente qualificado para identificar o seu problema e enviar a equipe técnica ao local.

Pague com
  • Mercado Pago
Selos
  • Site Seguro

TURBO DEDETIZADORA & DESENTUPIDORA - CNPJ: 24.493.659/0001-95 © Todos os direitos reservados. 2022


Para continuar, informe seu e-mail